Neste guia podes encontrar alguns conselhos para a educação e para o cuidado do teu animal de estimação.

 

 Cuidados e alimentação para cães

         

 

 Cuidados e alimentação dos gatos


Como escolher a alimentação adequada?

1. Que ingredientes deve conter a alimentção do cão?

2. Quantas proteínas precisa um cão e quais são as consequências do seu défice?

3. O que suporta a pele e o sistema imunológico de um cão?

4. De que vitaminas necessita o cão?

5. Que sais minerais são essenciais para o cão?

6. Comida para cães – comercial ou feita em casa?

7. Quando e como alimentar o seu cão?

 





As doenças mais comuns nos cães

1. O que podem significar sinais de irritação e a pele avermelhada de um cão?

2. O que fazer se um cão não quer subir ou descer umas escadas?

3. Como prevenir e curar a obesidade dos cães?

4. O que pode significar a sede excessiva nos cães?

5. Quais são as causas de uma infeção urinária num cão?

 


 
 
 
 
 
 
Cuidados e alimentação para cães
 

 
1. Quando posso trazer o cão para casa?
 
A mudança total de ambiente para o pequeño cão pode ser muito stressante, por isso podemos levar um cãozinho para casa nunca antes das 8 semanas de vida. Previamente devemos adquirir todos os acessórios para que ele se sinta confortável na sua nova casa.

 
2. O que comprar antes de adotar um cão?
 
Em primeiro lugar, há que determinar o local de onde o cão é capaz de relaxar. Devemos recordar que este local não pode ser perto de um radiador nem em zonas expostas a correntes de ar. Há que ter em conta o crescimento do cão. A cama ou colchão tem que ser adequado ao tamanho final do cão, tendo ainda um espaço extra de 20cm, para que o cão tenha um espaço suficiente.

Outros elementos essenciais no novo espaço do cão são o comedouro e o bebedouro. É aconselhável comprar um recipiente de cerâmica ou aço-inoxidavel, porque são os mais duradouros e mais seguros que os de plástico (que podem ser mordidos por um cão jovem).

Os brinquedos que devemos comprar devem ser desenhados para ele. Os brinquedos mais tradicionais podem conter elementos fáceis de quebrar e engolir, o que é perigoso para a vida e saúde do cão.

 
3. Como preparar o lugar e a família para a vida junto do cão?
 
Antes da chegada do novo membro da família, assegure-se que a habitação em que residirá o cãozinho, está bastante adaptada sem nenhuns potenciais riscos. Há que acomodar corretamente os cabos e bloquear os espaços entre os moveis, onde o cãozinho se poderia atracar.

Se houver uma criança na família, há que incutir à criança de que o cão não é um brinquedo. Também não é conveniente deixar uma criança com um cão sem ninguém por perto. Quando a criança bater no cão, este pode morder em defesa própria.

 
Educação & cuidados
 

 
1. Quando começar a pentear o pêlo do cão?
 
É aconselhável acostumar o cão aos tratamentos de beleza desde pequenino para evitar o stress relacionado com estas atividades no futuro. Pente ou escova devem ser escolhidos tendo em conta o comprimento do pêlo do cão.

 
2. Como cuidar dos dentes e das orelhas do cão?
 
Os acessórios mastigáveis são ideais para a higiene oral do cão e previnem a formação de placa dentária.

Para evitar doenças orais no cão, podemos também limpar suavemente (1-2 vezes por semana) os seus dentes com escova e pasta de dentes para cães.

As orelhas de cão são especialmente vulneráveis às inflamações, o que pode conduzir a uma infeção fungica. Portanto, é muito importante limpar regularmente as orelhas do cão usando liquidos especiais. Há que recordar que não devem utilizar cotonetes pois podem ser perigosos para a saúde do cão.

 
3. Como cortar as unhas do cão?
 
Tratamentos sistemáticos relacionados com o corte das unhas podem ser extremamente stressantes para o cão se não estiver acostumado a estes hábitos. Para este procedimento, utiliza-se um corta-unhas especial. Há que ser extremamente cuidadoso porque durante o tratamento de corte de unhas podemos magoar o cão. Se não tivermos a certeza de que somos capazes de fazer este tratamento ou as unhas estão muito escuras, é melhor procurar um veterinário.

 
4. Como alimentar o cão?
 
Devemos saber que um cão necessita muito mais cálcio, proteínas e minerais do que as pessoas. Por isso, não é aconselhável dar comida humana aos cães. Se não tens conhecimentos suficientes sobre nutrição para cães, podes expô-lo a uma baixa imunidade e a um maior risco de doenças.

Nas lojas há muitos alimentos já preparados com variada composição que nos permite escolher a comida adequada para a raça, tamanho e idade do cão. Em casos especiais, um veterinário pode recomendar uma dieta especial para um animal, por exemplo para os cães com alergias, obesos, com diabetes e com infeções ou doenças urinárias.

 
5. Como ensinar um cão a ser limpo em casa?
 
Antes de adotar um cãozinho, é aconselhável ler os guias profissionais dedicados à educação do cão. Vale a pena consultar um especialista em comportamtento animal e pesquisar alguns foruns temáticos ou blogs na internet, onde os donos de cães partilham experiências.

Lembra-te que stressando e intimidando o animal durante o período de ensino/adaptação pode afetar negativamente a relação com o cão. Se o animal associar as necessidades fisiológicas ao medo, este poderia consumir os seus excrementos ou até não ser capaz de urinar ou defecar.

Entende o comportamento canino. Ainda mais importante, entende que os cães não distinguem o certo do errado. O que estes entendem é o “seguro” e o “perigoso”. Quando o animal entrar em casa, ele não entende que é mau comportamento urinar no tapete da sala. Até onde ele sabe, o tapete é uma extensão de qualquer parte do local que ele domina. É também um lugar quente e confortável, ao contrário do jardim frio e sujo lá fora. O teu objetivo é ensinar ao animal que urinar ou defecar dentro de casa é inaceitável. É possivel fazer isso apanhando o cão “no ato” – não depois de já ter acontecido – mas enquanto o mau comportamento estiver a acontecer. Castigar o animal após o ato de mau comportamento apenas irá confundi-lo, tornando o processo de educação em casa muito mais complicado. Depois que este fizer dentro de casa, leva-o para fora e mostra o lugar correto para fazer as necessidades. Sê gentil e simplesmente mostra o lugar correto para o animal – ser agressivo ou gritar apenas confundirá o filhote.

Nunca punas fisicamente o teu cãozinho. Não só é cruel como também instigará o mau comportamento por associação. Isso ensina apenas o animal a ter medo e não a mudar os hábitos.

Entenda que a bexiga tem um limite. A idade do teu animal influencia a sua capacidade para aprender a comportar-se em casa e quanto tempo será necessário para que volte a fazer as necessidades. Segue um guia básico: (Referência do livro “The Super Simple Guide to Housetraining”, do autor Teoti Anderson)

Um cãozinho desmamado muito cedo terá dificuldades em ser educado em casa e também terá muitos outros problemas. Este processo entre as 5 e as 7 semanas deve ser feito com toda a ninhada, já que eles aprendem em sociedade, uns com o comportamento dos outros.

Domesticação entre as 8 e as 16 semanas tem de ser consistente. É ai que o animal irá descobrir se está num ambiente seguro ou perigoso. Faz com que o mundo do teu cãozinho seja um lugar seguro e trata-o com carinho e consistência. Aceita que o controle da bexiga é pequeno para cãezinhos nesta idade e ele pode parecer ter aprendido num dia, e no seguinte errar novamente. Não vejas isto como algo difícil – é o simples ato de um bebé a aprender a controlar a sua bexiga.

A partir das 16 semanas: Um cão consegue, normalmente, consegue segurar o xixi até quatro horas (antes disso, eles conseguem aguentar até duas horas, antes de precisar fazer as necessidades).

Entre os 4-6 meses: os cães dessa idade podem ser considerados “semi-domesticados” devido à sua elevada capacidade de distração. Eles provavelmente querem explorar o mundo, uma vez que perseguir uma borboleta pode ser mais interessante do que fazer as necessidades no lugar certo. Aos 4 meses, o cãozinho pode aguentar entre quatro a cinco horas antes de precisar fazer as necessidades no devido local, enquanto que aos 6 meses este consegue aguentar por seis ou sete horas.

Entre os 6-12 meses: A maturidade sexual pode fazer com que os machos levantem a perna para fazer xixi nos móveis, enquanto a fêmea pode entrar no cio. A bexiga consegue aguentar de sete a oito horas antes de precisar esvaziar.

12-24 meses: Dependendo da raça, o teu cão ainda não é um adulto. Talvez já tenhas conseguido domesticá-lo, mas caso não tenhas conseguido, ainda é possível, até mesmo para cães adultos.

Tem em conta a raça do teu cão. Os maiores costumam ser mais fáceis de ensinar do que os menores, simplesmente porque os menores precisam urinar e defecar mais frequentemente (já que os sistemas digestivos são menores). Os cães menores conseguem entrar nos lugares mais estranhos para evacuar e só seria possivel encontrar os dejetos depois do hábito estar instalado. Sê cuidadoso com cães menores como serias com cães maiores e o sucesso é garantido. Lembra-te, não há nada fofo em fazer as necessidades dentro de casa, não importando quão fofo é o teu cão. Portanto, não penses que foi apenas um acidente isolado.

 
6. O que fazer quando a cadela for adulta e como reconhecê-lo?
 
O período menstrual de uma cadela é o seu primeiro de maturidade. A primeira menstruação de uma cadela ocorre entre os 6 e os 10 meses de idade e ocorre duas vezes ao ano (tem uma duraçáo de 21 dias). Na oferta das lojas existe uma roupa interior especial para as cadelas que manterá o teu apartamento limpo.

 
7. Porque cadastrar ou esterilizar um cão?
 
Se não planeamos a reprodução dos cães, vale a pena considerar junto de um veterinário a esterilização das fémeas ou a castração dos machos. Com a esterilização podem-se prevenir doenças genitais e gravidez imaginária, e pela castração acalmar a hiperatividade do cão.

 
8. Como preparar uma cadela para a materninade?
 
Planeando a reprodução o ideal será consultar um veterinário, para garantir que a saúde da cadela é boa. Tomando a decisão da reprodução é importante ter-se em conta que a reprodução animal é uma grande responsabilidade e tem custos adicionais com os mantimentos dos animais.

 
9. Quando e como eliminar os vermes e parasitas nos cães?
 
Desparasitação regular pode prevenir a aparição de parasitas no corpo do animal. A proteção dos cães contra os vermes externos na superficie da pele é possivel por diversas formas de medidas preventivas. Soluções que contenham permetrina, imidacloprid e piriproxifeno repelem efetivamente as pulgas. Para lutar contra a Babesiose transmitida pelas carraças é necessário usar os produtos anti-aracnideos.

 
10. Quando vacinar um cão?
 
A vacinação dos cães é uma medida de precaução, segundo o calendário de vacinação que estabelece um veterinário. Pode-se vacinar um cão contra doenças como: Parvovírus, Hepatite, Leptospirose, Tosse Canina. A vacinação contra a raiva é obrigatória e deve-se fazer depois do segundo mês de vida do cãozinho.

 

 

 

 
 
 
Como escolher a alimentação adequada?
 

 
1. Que ingredientes deve conter a alimentção do cão?
 
A necessidade de proteínas, lípidos e minerais depende da idade, da raça e do tamanho do animal. Os principais ingredientes são: proteínas, lípidos, hidratos de carbono, sais minerais, vitaminas e água.

 
2. Quantas proteínas precisa um cão e quais são as consequências do seu défice?
 
Białka to związki organiczne zbudowane z reszt aminokwasów.
As proteínas são formadas por aminoácidos. Para o funcionamento correto do organismo, o animal necessita aminoácidos, tais como: arginina, histidina, leucina, isoleucina, lisina, fenilalanina, tirosina, triptófano, treonina, valina, metionina, cisteína.

O défice de proteínas pode conduzir à desnutrição, mas o défice de metionina e cisteína (que são responsáveis pela formação de proteínas da pele e do pêlo) também é um problema grave.

 
3. O que suporta a pele e o sistema imunológico de um cão?
 
A principal fonte de energia para o cão são os lípidos (gorduras) que fornecem os ácidos gordos para melhorar a condição da pele e do sistema imunitário.

Os hidratos de carbono são compostos orgânicos formados unicamente por átomos de carbono, hidrogénio e oxigénio, que fornecem e armazenam energia, ou seja a glicose.

As fibras são uma parte dos hidratos de carbono, e influenciam positivamente a saúde do trati gastroinstestinal. Existem dois tipos de fibras: solúveis e insolúveis. As primeiras o corpo pode digerir e contribuem para o crescimento da flora bacteriana. As fibras insolúveis são aquelas que o corpo não consegue digerir, o que apoia e suporta o comportamento intestinal do animal.

 
4. De que vitaminas necessita o cão?
 
Os alimentos para cães contém as vitaminas essenciais. As vitaminas A, D, E e K são solúveis nas gorduras e são responsáveis por uma visão saudável, boa condição ossea e têm funções antióxidantes. As vitaminhas hidrossolúveis tais como: B1, B2, B3, B5, B6, B7, B9 e B12 são necessárias para as reações quimicas, sobretudo para a condução apropriada dos impulsos nervosos.

 
5. Que sais minerais são essenciais para o cão?
 
O fósforo, o cálcio, o sódio, o potássio, o magnésio e o cloro, são os macronutrientes essenciais na dieta canina. Os oligoelementos importantes são: ferro, zinco, cobre, iodo, manganésio e o selénio.

 
6. Comida para cães – comercial ou feita em casa?
 
Muitos de nós pensam que a preparação de um alimento para um cão não é dificil. No entanto, não é fácil calcular a quantidade de proteínas e vitaminas necessárias à alimentação de um cão, pois este pode ter um défice destes compostos.

 
7. Quando e como alimentar o seu cão?
 
Muitos dos produtos que consumimos diariamente, podem ser perigosos para a saúde do seu cão. O chocolate possui teobromina, que é prejudicial para o coração. Uvas e derivados podem provocar danos nos rins colocando o seu cão em risco de vida, enquanto as batatas podem afetar o sistema nervoso e o sistema urinário.

 




 
 
As doenças mais comuns nos cães
 

 
1. O que podem significar sinais de irritação e a pele avermelhada de um cão?
 
rritação e a pele avermelhada pode ser um sinal de uma das doenças dermatológicas mais populares, como a dermatite atópica, a dermatite alérgica por pulgas ou alergia alimentar. A alergia alimentar é a reação alérgica à carne de frango, carne de vaca, ovos, leite, soja ou cereais, ou a grande maioria dos ingredientes alimentares para cães e gatos. Neste caso um veterinário prescreve uma alimentação especial para cães.

 
2. O que fazer se um cão não quer subir ou descer umas escadas?
 
As dificuldades de mobilidade e a renúncia a subir escadas, são sintomas próprios de um cão que sofre de arteroses. O dano na cartilagem articular ocorre geralmente junto com a idade e o sobrepeso, como consequência de lesões e acidentes, mas também se observa em cães de raças grandes e gigantes. No caso de doenças de articulaçóes, um veterinário prescreve uma dieta especial, medicamentos e reabilitação.

 
3. Como prevenir e curar a obesidade dos cães?
 
A obesidade dos cães é um problema cada mais popular, que pode causar a diabetes e as doenças da pele, das articulações e dos rins. As causas principais da obesidade canina são: os hábitos como a alimentação “fora da mesa”, administração de comida em demasia e a falta de movimento. Se o cão começou a subir o seu peso o melhor será consultar um veterinário.

 
4. O que pode significar a sede excessiva nos cães?
 
No ínicio da doença de insuficiência renal, não existe praticamente nenhum sintoma. O desconhecimento desta doença pode ser mortal e encurtar relativamente a esperança média de vida do teu animal. As raças de cães que mais sofrem desta doença são: rottweiler, dálmata, cocker spaniel, beagle, doberman e bullterrier. Se dermos conta que o animal tem a sede cada vez mais intensa, e uma quantidade imensa de urina, há que imediatamente ir ao veterinário.

 
5. Quais são as causas de uma infeção urinária num cão?
 
As bactérias, fungos e parasitas contribuem para a inflamaçáo da bexiga, que se manifesta pela hematúria e a micção frequente. Para diagnosticar a doença é necessário realizar análises à urina, ao sangue, RTG (raio-x), USG (ecografia). Um veterinário pode prescrever uma dieta especial e a terapia com antibióticos, antifúngicos ou tratamento antiparasitário.

 

 
 

 

 
 
 
Cuidados e alimentação dos gatos
 

 
1. Como verificar se estamos preparados para adotar um gato?
 
Antes de decidirmos adotar um gato, deveriamos considerar se podemos dedicar-lhe a quantidade suficiente de tempo e atenção. Na nossa ausência, gatos aborrecidos são capazes de destruir por completo uma casa. A saliva, que distribuem ao longo da pele dos gatos pode causar reações alérgicas.

Temos que considerar que as pessoas que até agora não mostraram sintomas de hipersensibilidade podem apresentar os primeiros sintomas de uma alergia.

 
2. O que comprar antes de trazer o gato para casa?
 
Quando decidimos adotar um gatinho, temos que ter todos os acessórios necessários para o cuidado do animal. Os artigos mais necessários são: bebedouro, comedouro, cama, brinquedos, caixa de areia e lâmina de limpeza, arranhador, areia para gatos e transportador.

 
3. Como preparar a casa para a chegada do novo gatinho?
 
Antes da chegada do novo membro da família, é preciso ter a certeza que a casa não é perigosa para o gatinho. É aconselhável proteger as janelas e as varandas com telas de proteção, que protegem contra as quedas de certa altura..

 
4. Que plantas podem ser tóxicas para os gatos?
 
Os gatos têm o hábito de morder as plantas. O consumo de algumas espécies de plantas pode causar problemas estomacais graves, e até conduzir à morte do animal. É importante nos assegurarmos que as plantas perigosas não estão à disponibilidade do gato..
 
 
 
 
Educação e Cuidados
 

 
1. Como lidar com as garras de um gato?
 
Uma das necessidades naturais de um gato é afiar as garras, o que pode causar a destruição de alguns móveis, sofás e outros artigos que estejam no local.

 
2. Como escolher o arranhador ideal para um gato?
 
O arranhador deve ser escolhido tendo em conta a superficie preferida do gato para afiar as garras. Se o gato tem destruido carpetes, escolhe um arranhador coberto de tapete, mas se o gato prefere o sofá o ideal será comprar um coberto de sisal.

 
3. Como fazer com que o seu gato deixe de destruir os móveis?
 
Para animar o gato a usar o arranhador pode-se utilizar o arranhador pode utilizar preparações que contém erva gateira. No entanto, também se podem usar repelentes para proteger os moveis..

 
4. Como ajudar o seu gato a adaptar-se a um novo ambiente?
 
Para ajudar o gato a adaptar-se ao seu novo ambiente, recomenda-se o uso de feromonas felinas. A variedade de produtos disponiveis nas lojas ajudará encontrar uma boa solução.

 
5. Como ensinar um gato a usar a caixa de areia?
 
Quando o gatinho aparece no seu novo espaço, deve em primeiro lugar ver a caixa de areia. Os gatos não costumam ter problemas de aprendizagem a usar a caixa de areia mas é recomendável recompensar o gato cada ver que fizer uma ação correta.

 
6. Qual é a melhor areia para os gatos?
 
Nas lojas há diferentes tipos de areias para gato. Alguns produtos podem causar uma reação alérgica ou não ser adequadas para o gato. Neste caso, é preciso considerar uma alteração do produto.

 
7. Quando levar um gato ao veterinário?
 
Devemos levar imediatamente ao veterinário para controlar o seu estado de saúde, desparatisação e vacinação.

 
8. Contar que doenças se deve vacinar um gato?
 
Quando os gatos chegam à oitava semana de vida e se habituam à nova residência, devem ser vacinados contra as mais perigostas doenças, tais como: panleucopenia felina, Herpesvirus felino e calcivirus felino.
 
 
Contra a raiva só vacinamos aqueles gatos que têm acesso ao exterior, porque estão expostos ao virus.

 
9. Quando fazer a desparasitação de um gato?
 
Entre o terceiro e o sexto mês de vida, há que fazer a desparasitação do gato, cada 30 dias. Mesmo se um gato não sai de casa, a prevenção de parasitas é muito importante.

 
10. Como proteger um gato contra pulgas e carraças?
 
A coleira tradicional é só um adereço estético, no teu gato, mas a etiqueta/medalha com a morarda da residência identificará o gato em caso deste se perder. A coleira desparasitária ajudará a proteger o teu gato contra pulgas e carraças. Um pequeno sino na coleira permitirá mais facilmente identificar mais rapidamente o gato em casa ou no jardim.

Escolhendo uma coleira para o gato que sai de casa há que ter em conta a sua flexibilidade – para que o gato possa escapar libremente quando está no topo de uma árvore ou qualquer outro objecto.

 
11. O que é melhor para o gato: coleira ou peitoral?
 
Quando queremos controlar o gato fora de casa podemos usar a trela. Neste caso, não devemos usar uma correia com uma coleira, porque podemos esganar o gato com algum movimento mais repentino. Assim, deveremos usar coleiras com arnês desenhados para gatos.

 
12. Quando uma gata pode ter gatinhos?
 
Depois de seis meses de idade, a gata está pronta para a fecundação. A gravidez tem uma duração aproximada de nove semanas e a gata dá à luz uns 6 gatinhos.

 
13. É necessário castrar um gato?
 
 Se não planeamos a reprodução dos gatos, vale a pena considerar junto de um veterinário a esterilização das fémeas ou a castração dos machos. Com a esterilização pode-se prevenir as doenças genitais, e a gravidez imaginária. E com a castração baixa-se a hiperatividade do gato.
 
 
 
Uma alimentação adequada é a chave para uma boa saúde.

 
1. É recomendável que os gatos comam a alimentação humana?
 
Há que ter em conta que a nossa mascote é um carnívoro mascote, pelo que é importante escolher uma dieta bem equilibrada e sã. A necessidade de proteínas, gorduras e minerais depende da idade, da raça e tamanho do animal. Os principais ingredientes são: proteínas, gorduras, hidratos de carbono, sais minerais, vitaminas e água.

 
2. É recomendável que os gatos bebam leite de vaca?
 
Contrariando as crenças populares de que o leite de vaca não é mau para a saúde do gato, o leite de vaca contém uma grande quantidade de lactose – açucar, que o gato adulto não é capaz de digerir adequadamente. Os gatos estão adaptados a digerir apenas o leite materno, depois na maioria deles desaparecen as enzimas capazes de digerir a lactose. O consumo de leite de vaca (que está presente na nossa dieta diária) pelo nosso animal pode conduzir à indigestão e à diarreia crónica.

Se queremos dar leite ao gato, devemos comprar os produtos lácteos disponiveis em muitas lojas de animais.

 
3. Que proteínas são boas para um gato?
 
As proteínas são compostos orgânicos formadas por aminoácidos. Para um bom funcionamento do organismo do gato necessitamos aminoácidos tais como: arginina, histidina, leucina, isoleucina, lisina, fenilalanina, tirosina, triptófano, treonina, valina, metionina, cisteína, taurina.

 
4. Um gato pode comer comida de cão?
 
Os gatos têm uma necessidade maior de protéinas e por isso o gato não pode comer comida de cão (pode causar défice proteico).

 
5. Quais são as consequências do défice de proteínas na dieta do gato?
 
O défice proteico pode causar não só uma desnutrição de proteínas, mas também a um problema sério, ou seja, a falta de metionina e cisteína, que são responsáveis pela formação de proteínas da pele e do pêlo.

 
6. Que gorduras deve conter a dieta diária do gato?
 
A fonte principal de energia para o gato são as gorduras, que fornecem ácidos gordos essenciais e apoiam o bom funcionamento da pele e do sistema imunitário.

O gato não tem a capacidade de converter o ácido linoleico (contido nas gorduras vegetais) em ácido araquidónico, ou seja, nos acidos gordos omega-6.

A fonte destas gorduras são produtos derivados de animais tais como: gemas de ovos e carnes.

Para prevenir o défice de gorduras, tanto a comida húmida como a comida seca tem um nivel adequado de ómega-6.

 
7. Hidratos de Carbono – como equilibrar adequadamente a dieta do gato?
 
Os hidratos de carbono são compostos orgânicos formados unicamente por átomos de carbono, hidrogénio e oxigénio, que fornecem e armazenam energia, ou seja a glicose.

As fibras são uma parte dos hidratos de carbono, e influenciam positivamente a saúde do trati gastroinstestinal. Existem dois tipos de fibras: solúveis e insolúveis. As primeiras o corpo pode digerir e contribuem para o crescimento da flora bacteriana. As fibras insolúveis são aquelas que o corpo não consegue digerir, o que apoia e suporta o comportamento intestinal do animal.

 
8. Quais são as vitaminas e minerais indispensaveis para o bom funcionamento do organismo?
 
 
Os alimentos para cães contém as vitaminas essenciais. As vitaminas A, D, E e K são solúveis nas gorduras e são responsáveis por uma visão saudável, boa condição ossea e têm funções antióxidantes. As vitaminhas hidrossolúveis tais como: B1, B2, B3, B5, B6, B7, B9 e B12 são necessárias para as reações quimicas, sobretudo para a condução apropriada dos impulsos nervosos.

O fósforo, o cálcio, o sódio, o potássio, o magnésio e o cloro, são os macronutrientes essenciais na dieta felina. Os oligoelementos importantes são: ferro, zinco, cobre, iodo, manganésio e o selénio.

 
9. Quando dar suplementos a um gato?
 
A comida que contém muitos minerais e vitaminas é a melhor para o gato. Os alimentos que não têm a quantidade suficiente de minerais requerem um suplemento adicional. Nas lojas podemos encontrar muitos suplementos, que ajudam a manter a boa saúde do gato.

 
10. Comida para gatos – comercial ou feita em casa?
 
Muitos de nós pensa que a preparação de um alimento para um gato não é dificil. No entanto, não é fácil de calcular a quantidade de proteínas e vitaminas essenciais para o gato, e assim este pode sofrer com a falta destes nutrientes.

A comida industrial tem uma quantidade adequada de calorias, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais necessários para o bom funcionamento do organismo de cada gato.

 
11. Comida seca ou húmida. Qual escolher?
 
A comida seca, em forma de croquetes, pode ser dificil de mastigar para os gatinhos pequenos. Neste caso, o melhor é misturá-lo com a comida húmida e pouco a pouco aumentar a quantidade de alimento seco reduzindo no húmido. O alimento seco pode ser submergido em água. A administração de ambos os tipos de comida para gato, faz com que a sua dieta seja variada e o consumo de água maior.
 
 
 
As doenças mais frequentes nos gatos.
 

 

1. Se o gato se coça ou lambe mais do que o normal pode ter alguma alergia alimentar?

Irritação e a pele avermelhada pode ser um sinal de uma das doenças dermatológicas mais populares, como a dermatite atópica, a dermatite alérgica por pulgas ou alergia alimentar. A alergia alimentar é a reação alérgica à carne de frango, carne de vaca, ovos, leite, soja ou cereais, ou a grande maioria dos ingredientes alimentares para cães e gatos. Neste caso um veterinário prescreve uma alimentação especial para gatos.

 

 
2. O que fazer se o gato tem dificuldades de mobilidade?
 
As dificuldades de mobilidade e a renúncia a subir escadas, são sintomas próprios de um gato que sofre de arteroses. O dano na cartilagem articular ocorre geralmente junto com a idade e o sobrepeso, como consequência de lesões e acidentes, mas também se observa em gatos de raças grandes e gigantes. No caso de doenças de articulaçóes, um veterinário prescreve uma dieta especial, medicamentos e reabilitação.

 
3. Como prevenir e curar a obesidade dos gatos?
 
A obesidade dos gatos é um problema cada mais popular, que pode causar a diabetes e as doenças da pele, das articulações e dos rins. As causas principais da obesidade nos gatos são: os hábitos como a alimentação “fora da mesa”, administração de comida em demasia e a falta de movimento. Se o gato começou a subir o seu peso o melhor será consultar um veterinário.

 
4. Porque é que o gato tem bebido mais e urina demasiado?

No ínicio da doença de insuficiência renal, não existe praticamente nenhum sintoma. O desconhecimento desta doença pode ser mortal e encurtar relativamente a esperança média de vida do teu animal. Se dermos conta que o animal tem a sede cada vez mais intensa, e uma quantidade imensa de urina, há que imediatamente ir ao veterinário.

 
5. O que pode significar o sangue na urina?
 
As bactérias, fungos e parasitas contribuem para a inflamaçáo da bexiga, que se manifesta pela hematúria e a micção frequente. Para diagnosticar a doença é necessário realizar análises à urina, ao sangue, RTG (raio-x), USG (ecografia). Um veterinário pode prescrever uma dieta especial e a terapia com antibióticos, antifúngicos ou tratamento antiparasitário.

Nas lojas de animais podemos comprar um teste especial para monitorizar infeçóes bacterianas nos gatos.

 
6. Quais são os sintomas das doenças transmitidas pelas carraças?
 
Atualmente, estima-se que uma em cada três carraças transmitem a borreliose de Lyme. Se no local da picada da carraça estiver uma lesão vermelha sem edema, e tem forma redonda, deves dirigir-te ao veterinário o mais depressa possível. Além disso, entre os sintomas da doença estão também: febre, desconforto geral e perda de apetite.

As carraças podem, também, transmitir babesiose, anaplasmose, encefalite transmitida por carraças e muitas outras doenças que ameaçam a vida animal. Vale a pena proteger o gato contra as carraças utilizando produtos antiparasitários.

 
7. Como cuidar do gato depois da esterilização/castração?
 
A esterilização requer pontos de sutura, os quais são em sua maioria solúveis. O gato pode começar a lamber intensamente este local. Por isso é aconselhável utilizar roupa de proteção especial em cirurgias de gatos.

 
8. Qual poderia ser a causa do odor desagradável da boca do gato?
 
Se há algum tempo sentimos um intenso mau odor da boca do nosso gato devemos ir ao veterinário. A causa deste odor desagradável pode ser, por exemplo, a placa dentária, os rins, e problemas digestivos.

 
9. Bolas de pêlo – O que são? Como ajudar o gato?
 
Vómitos, prisão de ventre e a presença de pêlo nos excrementos do gato podem indicar que no organismo do gato se encontram bolas de pêlo. Além de pentear o pêlo pode-se utilizar um alimento especial ou paste que ajudará o gato a digerir bolas de pêlo.

 

 

Termos e Condições | F.A.Q. | Guia | Devoluções | Pagamento & Entrega | Contacto | Quem somos | Ofertas promocionais | Mapa do site | Cães | Gatos | Modifique a moeda para PLN | 100% satisfação ou receberá o seu dinheiro de volta!
Chat

Escolha o seu chat